70-410 MB2-703 200-120 70-461 C_TADM51_731 300-320-dumps sy0-401-dumps 210-065-vce pw0-071-practice-test 200-120-ccna-cost c_hanaimp142-dumps 77-427-exam 9l0-066-pdf sale-C9560-503 a00-211-pdf 070-331-dump 352-001-pdf 1z0-047-pdf h12-224-dumps og0-093-dumps-free 400-101-dumps 1v0-605-pdf sale-C2090-620 1z0-242-pdf 70-470-exam 1z0-520-dumps-free-download ex300-exam 070-346-exam 100-101-practice-exam jn0-360-dumps-free-download jn0-692-exam s10-300-dumps 648-232-vce 1z0-599-free-dumps ns0-101-answers 070-412-dump 210-260-vce e20-891-exam sale-70-210 n10-006-pdf ahm-510-certification 220-010-exam 1z0-052-practice-test 700-505-exam sale-C2090-632 700-501-exam n10-005-pdf 70-981-exam 200-101-practice-exam 1z0-060-dumps 642-997-vce C2170-051 C2010-570 3I0-008 ex200-dumps ex200-exam-questions 070-462-dumps 070-680 70-413 C4060-155 OG0-092 1Y0-400 200-101 70-332 98-367 C2020-180 MB6-872 648-232 312-50V8 1Z0-599 220-010 1Z0-052 700-505 C2090-632 700-501 N10-005 70-981 HP2-H35 98-361 070-323 1Z0-876 300-135 1V0-604 642-747 642-742 AX0-100 1Z0-808 OG0-023 ST0-306 C2090-558 JN0-694 S90-09A 300-207 3I0-013 TK0-201 1Z0-061 1Z0-883 HP2-H39 C_TSCM62_66 VCS-273 500-451 TE0-141 500-170 C2020-625 312-75 70-697 HP2-Z34 117-201 C_GRCAC_10 NS0-157 820-427 C_TSCM42_66 300-320-dumps sy0-401-dumps 210-065-vce pw0-071-practice-test 200-120-ccna-cost c_hanaimp142-dumps 77-427-exam 9l0-066-pdf sale-C9560-503 a00-211-pdf 070-331-dump 352-001-pdf 1z0-047-pdf h12-224-dumps og0-093-dumps-free 400-101-dumps 1v0-605-pdf sale-C2090-620 1z0-242-pdf 70-470-exam 1z0-520-dumps-free-download ex300-exam 070-346-exam 100-101-practice-exam jn0-360-dumps-free-download jn0-692-exam s10-300-dumps 648-232-vce 1z0-599-free-dumps ns0-101-answers 070-412-dump 210-260-vce e20-891-exam sale-70-210 n10-006-pdf ahm-510-certification 220-010-exam 1z0-052-practice-test 700-505-exam sale-C2090-632 700-501-exam n10-005-pdf 70-981-exam 200-101-practice-exam 1z0-060-dumps 642-997-vce C2170-051 C2010-570 3I0-008 ex200-dumps ex200-exam-questions 070-462-dumps 70-484 70-498 70-646 98-361 98-366 A30-327 C_BOE_30 C_TSCM42_66 C2010-597 C2020-632 C2020-701 C2020-703 C2040-408 C2040-988 C2070-581 C2150-195 C2160-667 C2180-274 C4040-226 C4090-453 CAS-001 CSSLP C-TERP10-60 E20-018 E20-918 JN0-360 MSC-321 P2080-088 PC0-001 PEGACSA-v6.2 3I0-012 500-051 640-875 640-916 642-427 642-647 642-691 650-663 700-037 70-247
Pubicado em: qua, jul 11th, 2018

Famílias de baixa renda serão isentas do pagamento da conta de luz

Medida foi incluída no projeto relacionado à venda de distribuidora

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (10) a isenção do pagamento da conta de luz para famílias de baixa renda. Segundo o Ministério de Minas e Energia, 8,9 millhões de famílias devem ser beneficiadas.

A medida foi aprovada durante a votação do projeto que viabiliza a privatização de seis distribuidoras de energia controladas pela Eletrobras. O texto-base da proposta já havia sido aprovado na semana passada, mas os deputados ainda precisavam analisar os destaques (possíveis mudanças ao texto original) para concluir a votação.

Durante a análise dos destaques, os deputados modificaram as regras da chamada Tarifa Social. Pela proposta, serão beneficiadas com a isenção do pagamento da conta de luz as famílias:

Com renda mensal menor ou igual a meio salário mínimo;

E que consumirem até 70 kwh/mês.

 Deputados reunidos no plenário da Câmara durante a sessão desta terça (10)  (Crédito: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Deputados reunidos no plenário da Câmara durante a sessão desta terça (10) (Crédito: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O texto define, ainda, que o pagamento caberá à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). As famílias beneficiadas com a medida deverão estar incluídas do Cadastro Único dos programas sociais do governo.

Durante a sessão, os partidos de oposição defenderam que o consumo fosse de até 80 kwh/mês, mas a base governista defendeu 50 kwh/mês. Diante disso, houve um acordo e os parlamentares chegaram ao consumo de 70 kwh/mês.

Atualmente, os descontos para famílias de baixa renda são calculados com base no consumo, que vai de 30 kwh/mês a 220 kwh/mês. O desconto varia de 10% a 65%.

Pela lei atualmente em vigor, somente indígenas e quilombolas cujas famílias são consideradas de baixa renda têm direito ao desconto de 100% na conta de luz.

Com a conclusão da votação do projeto, nesta terça, o texto seguirá para votação no Senado e, em seguida, para sanção presidencial.

Impacto

Durante a análise da proposta, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), alertou os parlamentares sobre a necessidade de ser feito um estudo sobre o impacto da medida nas contas públicas.

“Eu preciso que alguém me informe qual o impacto no orçamento do governo. Se alguém deixará de pagar a conta, outra pessoa vai pagar”, disse Maia.

Em resposta, o deputado Julio Lopes (PP-RJ), relator do projeto, afirmou que não haverá acréscimo de despesas e que a emenda já tinha sido negociada com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

“A própria Aneel concordou que não haveria qualquer acréscimo de despesa porque o consumo de todos será monitorado. Hoje, os quatro níveis da tarifa social de energia não são monitorados”, afirmou.

Após a aprovação do projeto, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, publicou uma mensagem no Twitter na qual afirmou que 14 milhões de pessoas devem ser beneficiadas com a privatização das distribuidoras.

Irrigação

Também na noite desta terça, os deputados aprovaram uma medida provisória (MP) que impede áreas que integram Projetos Públicos de Irrigação (PPIs) de serem retomadas pelo governo caso estejam dadas em garantia como hipoteca a algum banco oficial responsável por financiar o agricultor.

Neste caso, a retomada ficará a cargo da instituição financeira, a quem caberá comunicar o poder público da existência do crédito hipotecário.

Um trecho polêmico adicionado ao texto ainda altera um dispositivo da Política Nacional de Irrigação.

Pela nova redação, o governo não poderá declarar quais obras de infraestrutura de irrigação, que provoquem alterações em curso de água ou retirada de vegetação em área de preservação permanente (APP), poderão ser consideradas de utilidade pública para efeito de licenciamento ambiental.

Por se tratar de uma medida provisória, as regras já estão em vigor temporariamente. Porém, para passar a valer definitivamente, a MP ainda precisa ser aprovada no Senado até 24 de julho, quando perderá a validade.Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira (10) a isenção do pagamento da conta de luz para famílias de baixa renda.

Curta nossa página no facebook: http://www.facebook.com/PortalSaibaMais


Fonte: Com informações do G1