70-410 MB2-703 200-120 70-461 C_TADM51_731 300-320-dumps sy0-401-dumps 210-065-vce pw0-071-practice-test 200-120-ccna-cost c_hanaimp142-dumps 77-427-exam 9l0-066-pdf sale-C9560-503 a00-211-pdf 070-331-dump 352-001-pdf 1z0-047-pdf h12-224-dumps og0-093-dumps-free 400-101-dumps 1v0-605-pdf sale-C2090-620 1z0-242-pdf 70-470-exam 1z0-520-dumps-free-download ex300-exam 070-346-exam 100-101-practice-exam jn0-360-dumps-free-download jn0-692-exam s10-300-dumps 648-232-vce 1z0-599-free-dumps ns0-101-answers 070-412-dump 210-260-vce e20-891-exam sale-70-210 n10-006-pdf ahm-510-certification 220-010-exam 1z0-052-practice-test 700-505-exam sale-C2090-632 700-501-exam n10-005-pdf 70-981-exam 200-101-practice-exam 1z0-060-dumps 642-997-vce C2170-051 C2010-570 3I0-008 ex200-dumps ex200-exam-questions 070-462-dumps 070-680 70-413 C4060-155 OG0-092 1Y0-400 200-101 70-332 98-367 C2020-180 MB6-872 648-232 312-50V8 1Z0-599 220-010 1Z0-052 700-505 C2090-632 700-501 N10-005 70-981 HP2-H35 98-361 070-323 1Z0-876 300-135 1V0-604 642-747 642-742 AX0-100 1Z0-808 OG0-023 ST0-306 C2090-558 JN0-694 S90-09A 300-207 3I0-013 TK0-201 1Z0-061 1Z0-883 HP2-H39 C_TSCM62_66 VCS-273 500-451 TE0-141 500-170 C2020-625 312-75 70-697 HP2-Z34 117-201 C_GRCAC_10 NS0-157 820-427 C_TSCM42_66 300-320-dumps sy0-401-dumps 210-065-vce pw0-071-practice-test 200-120-ccna-cost c_hanaimp142-dumps 77-427-exam 9l0-066-pdf sale-C9560-503 a00-211-pdf 070-331-dump 352-001-pdf 1z0-047-pdf h12-224-dumps og0-093-dumps-free 400-101-dumps 1v0-605-pdf sale-C2090-620 1z0-242-pdf 70-470-exam 1z0-520-dumps-free-download ex300-exam 070-346-exam 100-101-practice-exam jn0-360-dumps-free-download jn0-692-exam s10-300-dumps 648-232-vce 1z0-599-free-dumps ns0-101-answers 070-412-dump 210-260-vce e20-891-exam sale-70-210 n10-006-pdf ahm-510-certification 220-010-exam 1z0-052-practice-test 700-505-exam sale-C2090-632 700-501-exam n10-005-pdf 70-981-exam 200-101-practice-exam 1z0-060-dumps 642-997-vce C2170-051 C2010-570 3I0-008 ex200-dumps ex200-exam-questions 070-462-dumps 70-484 70-498 70-646 98-361 98-366 A30-327 C_BOE_30 C_TSCM42_66 C2010-597 C2020-632 C2020-701 C2020-703 C2040-408 C2040-988 C2070-581 C2150-195 C2160-667 C2180-274 C4040-226 C4090-453 CAS-001 CSSLP C-TERP10-60 E20-018 E20-918 JN0-360 MSC-321 P2080-088 PC0-001 PEGACSA-v6.2 3I0-012 500-051 640-875 640-916 642-427 642-647 642-691 650-663 700-037 70-247
Pubicado em: sex, set 14th, 2018

Polícia investiga se mulher morta em ritual satânico foi envenenada

Atyla foi achada morta em uma praia de Mongaguá, no fim de julho.

A Polícia Civil solicitou à Justiça a prorrogação da prisão dos suspeitos de matarem a jovem Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, em Mongaguá, no litoral de São Paulo. Sergio Ricardo Re da Mota, de 47 anos, e Simone Melo Koszegi, de 41, são acusados de terem matado a jovem durante um ritual de uma suposta seita satânica. A polícia também investiga a possibilidade de a jovem ter sido envenenada, antes de afogamento.

Atyla foi achada morta em uma praia de Mongaguá, no fim de julho. A polícia trabalhava com a hipótese de que ela havia sido vítima de um afogamento acidental, no entanto, os investigadores desconfiaram quando representantes de uma empresa de seguros procuraram a polícia para saber da morte da jovem, que tinha em seu nome um seguro de vida no valor de R$ 260 mil.

A partir daí, as investigações concluíram que Atyla, que estava grávida de três meses, foi morta propositalmente, após o término da carência do seguro, para que o casal recebesse a indenização. Ela morava com Simone e Sergio na cidade vizinha, para onde tinha ido com a promessa de um emprego em uma transportadora mantida pelos dois na cidade.

Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, foi achada morta em praia de Mongaguá, SP (Crédito: Arquivo Pessoal)
Atyla Arruda Barbosa, de 20 anos, foi achada morta em praia de Mongaguá, SP (Crédito: Arquivo Pessoal)

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Ruy de Matos Pereira, foi solicitada a renovação da prisão do casal. “Nós pedimos a prorrogação ou a expedição do mandado de prisão preventiva”, explicou em entrevista, Segundo ele, o pedido foi necessário, já que o resultados dos laudos do Instituto Médico Legal (IML) ainda não saíram.

“Eles foram indiciados por associação criminosa, devido à emissão das apólices de seguros encontradas”, conta. Matos reitera que, até agora, foram achadas pelo menos seis apólices em nome de Atyla. “Além disso, havia uma conta bancária e até mesmo uma empresa em nome dela”, diz.

 Morte por envenenamento

A polícia também aguarda o resultado de laudos complementares solicitados ao IML. Entre eles, está o referente a substâncias encontradas no estômago e na boca de Atyla. Na época, um laudo preliminar indicava a presença de uma ‘substância rosada e de odor incomum’. Há a possibilidade de a jovem ter sido envenenada antes de sofrer o afogamento, segundo a polícia.

Casal acusado de matar jovem para receber seguro segue preso (Crédito: Arquivo Pessoal)
Casal acusado de matar jovem para receber seguro segue preso (Crédito: Arquivo Pessoal)

De acordo com a advogada da mãe da vítima, Patrícia Veiga, também foi solicitado ao Instituto de Criminalística (IC) um exame grafotécnico de uma declaração feita a punho, encontrada na residência do casal. Nela, Atyla nomearia Simone como beneficiária de um seguro de vida. O documento, porém, tem data anterior à da chegada da jovem em Itanhaém.

“O documento foi datado com o dia 21 de janeiro, mas ela chegou à cidade no dia 24. Então, há a possibilidade de que ela tenha sofrido ameaças antes de chegar ao endereço deles, e que todo o crime tenha sido premeditado”, explica.

Magia negra e satanismo

Simone e Sergio foram presos em 17 de agosto, após o pedido de prisão preventiva ser acatado pela Justiça. Em depoimento, a mulher disse ser madrinha de Atyla, e que os pais a haviam abandonado. O fato foi desmentido por Selmair Arruda de Moraes, de 44 anos, mãe da jovem, quando chegou à cidade litorânea em busca da filha, 20 dias após perder o contato com ela.

Morte de jovem em Mongaguá pode ter ligação com ritual satânico (Crédito: Montagem/G1 Santos)
Morte de jovem em Mongaguá pode ter ligação com ritual satânico (Crédito: Montagem/G1 Santos)

Inicialmente, ela faria boletim de ocorrência por cárcere privado, mas foi surpreendida ao saber da morte da filha. Foi descoberto que três pessoas, não identificadas, foram ao enterro da jovem, que teve na lápide a declaração ‘te amo’ escrita. “Acreditamos que isso tenha sido usado para despistar o crime. Por isso, anexamos fotos ao processo e vamos usá-las”, explicou a advogada.

Na redes sociais

Também foram descobertos perfis no Facebook indicando o envolvimento do casal em rituais de magia negra e satanismo. Eles ofereciam pactos de adoração a Lúcifer, em troca de “poder” e “status”, aparecendo em roupas pretas, ao lado de velas, pentagramas e até mesmo dentro de cemitérios. Na residência, havia imagens e altares de ‘adoração’ a Lúcifer.

Casal acusado de matar jovem para receber seguro de R$ 260 mil segue preso (Crédito: Arquivo pessoal)
Casal acusado de matar jovem para receber seguro de R$ 260 mil segue preso (Crédito: Arquivo pessoal)

De acordo com o delegado, Atyla teria passado a participar dessa seita, e há a suspeita de que ela tenha sido vítima após desistir de um ritual. “Há conversas em que ela dizia que queria desistir disso tudo, mas que se isso acontecesse, teria que pagar com a vida”, explica.

Também foi apreendido na residência um caderno com um texto, feito à mão, descrevendo exatamente o depoimento dado na delegacia quando Atyla morreu. “O texto bate com o que está no boletim de ocorrência. Ou seja, tudo foi planejado antes de eles irem à delegacia”, explica o delegado.

 (Crédito: Reprodução/ Facebook)
(Crédito: Reprodução/ Facebook)

Curta nossa página no facebook: http://www.facebook.com/PortalSaibaMais


Fonte: Com informações do G1